Seduc e Ministério Público firmam acordo para reduzir conflitos nas escolashttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Seduc-e-Ministério-Público-firmam-acordo-para-reduzir-conflitos-nas-escolas.aspxSeduc e Ministério Público firmam acordo para reduzir conflitos nas escolas<img alt="" height="200" src="/Galeria%20de%20Fotos/Mediação%20(Small).jpg" width="300" style="BORDER:0px solid;" /><p>​​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT) e o Ministério Público Estadual firmaram, nesta quarta-feira (07.12), um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para garantir o desenvolvimento da Mediação Escolar. Elaborado pela Seduc, o projeto tem a finalidade de reduzir conflitos nas escolas e elevar os índices educacionais. O objetivo é buscar o entendimento por meio do diálogo e soluções pacíficas para superar problemas gerados no ambiente escolar, além de reforçar os laços entre alunos e educadores. </p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><img src="/Galeria%20de%20Fotos/Mediação%20(Small).jpg" alt="" style="margin:5px;width:510px;height:340px;" /><br></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O acordo foi assinado pelo titular da Seduc, Marco Marrafon, e o promotor de Justiça Henrique Schneider.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Previsto para ser executado no início do próximo ano letivo, a Mediação Escolar funcionará, inicialmente, em seis escolas da rede estadual (EE Rafael Rueda, EE Malik Didier, EE Mário de Castro, EE Juarez Rodrigues dos Anjos, EE Pascoal Ramos, EE Pe. Firmo Duarte Filho).</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Um grupo de 32 educadores, entre professores, coordenadores, assessores pedagógicos e diretores passarão por uma capacitação especial a ser realizada por profissionais do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que também apoia a iniciativa.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Nas unidades escolares, cada um dos profissionais, qualificados para serem multiplicadores, buscará desenvolver ações para contornar situações de conflitos que envolvam os estudantes.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">“Os conflitos são inevitáveis. Nossa intenção é oferecer ao educador alternativas para lidar com casos do tipo da maneira mais saudável e menos prejudicial possível. Muitos dos problemas atingem grandes proporções por falta de diálogo, de uma comunicação e postura mais voltadas e abertas ao entendimento”, observou Marrafon.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Para auxiliar os educadores na tarefa, o Núcleo de Mediação Escolar (NME) – uma equipe permanente formada por psicólogos, assistentes sociais e servidores da Seduc – acompanhará de perto, fazendo visitas às unidades e organizando relatórios regulares.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">De acordo com o promotor de Justiça, “caberá ao Ministério Público prestar suporte técnico-operacional para o planejamento e execução de todas as etapas do projeto, e para implantação, manutenção e funcionamento do Núcleo”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O MPE será também responsável em supervisionar e auxiliar na normatização e organização dos procedimentos e das atividades desenvolvidas junto às escolas.</p><div><br></div>Seduc e Ministério Público firmam acordo para reduzir conflitos nas escolas
Aluno da rede estadual vence concurso nacional de redaçãohttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Aluno-da-rede-estadual-vence-concurso-nacional-de-redação.aspxAluno da rede estadual vence concurso nacional de redação<img alt="" height="203" src="/Galeria%20de%20Fotos/Concurso%20Redação%20(Small).jpg" width="300" style="BORDER:0px solid;" /><p>​​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O 2º Concurso de Redação realizado pela Defensoria Pública da União reuniu representantes de 279 escolas de 24 Estados e do Distrito Federal. Com o tema “Tráfico de Pessoas – Diga Não”, o concurso premiou o aluno classificado em primeiro lugar em cada estado, e o seu professor responsável, com um tablet. No total, 939 redações foram inscritas. </p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Em Mato Grosso, Rogério Antônio de Lima Júnior, estudante de 16 anos da Escola Estadual José Aparecido Ribeiro, do município de Nova Mutum (a 242 km de Cuiabá), foi o vencedor. Em seu texto, ele buscou inspiração em “Navio Negreiro”, de Castro Alves, o Poeta dos Escravos. O poema do século XIX relata a situação dos escravos da época e protesta contra esta situação.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O estudante não esconde o orgulho em ganhar o prêmio. “Eu me sinto muito privilegiado por ter levado o nome da escola para fora do Estado, só tenho a agradecer a professora Rosenir, ao diretor e a todos da escola”, contou emocionado.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">A professora de português, Rosenir Mendes Müller, leciona na Escola desde 2009 e acompanha Rogério desde que ele ingressou na unidade em 2015, para cursar o primeiro ano do ensino médio. No início desse ano, a dupla já havia ganhado um concurso de redação de âmbito municipal, cujo tema era a exploração sexual e infantil.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Rosenir explica que trabalhou com os alunos o tema do concurso em pesquisas, filmes e que promoveu um debate. Além disso, pediu para que todos os alunos escrevessem uma dissertação sobre o tema. “Eu acredito que a escola é para formar cidadãos críticos e esse tipo de concurso é para isso, além de estimular os alunos”, destacou.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Segundo a articuladora da escola, Tânia Manjabosco, todos os professores de português foram estimulados a trabalhar o tema da redação. “Mobilizar os alunos para participar de um concurso como esse, é estimular a consciência”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><strong>Reconhecimento</strong></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O aluno e a professora foram homenageados pela escola durante a realização da Feira de Linguagem, no dia 30 de novembro. A unidade escolar recebeu uma placa de honra ao mérito pela vitória. O diretor da escola, Ailson Benedito de Arruda, disse que o prêmio significa o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos docentes junto aos alunos.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">“Toda a equipe gestora, que está sempre acompanhando, orientando e incentivando o trabalho pedagógico, está de parabéns. Quero reforçar que a educação se faz em conjunto, portanto, é primordial citar o trabalho pedagógico desenvolvidos pelos educadores da rede pública. Essas oportunidades motivam os nossos alunos a continuarem acreditando no potencial de cada um”, finalizou o diretor.</p>Aluno da rede estadual vence concurso nacional de redação
Educadores de 33 etnias de Mato Grosso participam de curso de formaçãohttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Educadores-de-33-etnias-de-Mato-Grosso-participam-de-curso-de-formação.aspxEducadores de 33 etnias de Mato Grosso participam de curso de formação<img alt="" height="169" src="/Galeria%20de%20Fotos/IMG_20161130_110634039%20(Small).jpg" width="300" style="BORDER:0px solid;" /><p>​​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Indígenas de 33 etnias em Mato Grosso participam de curso para formação de professores em Barra do Bugres (150 km de Cuiabá). O curso visa qualificar educadores para atuarem nas 71 escolas indígenas do Estado e atenderem mais de 10 mil alunos.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O curso é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT) e a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). O projeto também conta com o apoio do Plano Nacional de Professores (Parfor) do Governo Federal.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">São 120 acadêmicos e indígenas divididos nos cursos de licenciaturas em Pedagogia Intercultural e Línguas, Artes e Literatura, Ciências Sociais e Ciências da Matemática e da Natureza. Os módulos são realizados durante o período de férias escolares para facilitar o ingresso dos educadores. Nos períodos intermediários, os acadêmicos realizam etapas nas escolas localizadas nas próprias aldeias, com a supervisão de profissionais da Unemat.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O curso conta com uma duração de cinco anos. Segundo o coordenador da Educação Escolar Indígena, Sebastião Ferreira de Souza, este primeiro módulo vai até o próximo dia 17 de dezembro. Durante todo este período, os acadêmicos ficam alojados em uma escola agrícola em Barra do Bugres, enquanto as aulas são ministradas no campus René Barbour. Conforme o coordenador, a Seduc investe aproximadamente R$ 1,2 milhão no curso por ano.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Sebastião Ferreira explicou que a formação conta com uma proposta diferenciada, pois os professores precisam aprender a ensinar nas duas línguas, tanto no português, quanto nas suas línguas maternas. “É uma proposta totalmente especial, que visa deixar os educadores muito bem preparados, uma vez que até o segundo ciclo, os jovens contam com aulas de todas as disciplinas somente em suas línguas maternas”, afirmou.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">De acordo com o diretor de Gestão e Educação Escolar Indígena, Adailton Alves da Silva, responsável pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Unemat, o curso já foi responsável pela formação de mais de 450 educadores indígenas.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Adailton também destacou a importância da parceria e olhar mais humanizado do Estado com relação à educação indígena. “É um público específico, que como tal conta com as suas necessidades e o seu tempo. Olhar e dar real valor para esta diversidade tem feito toda a diferença na formação dos acadêmicos”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Segundo Adailton, a educação diferenciada tem feito tanta diferença na vida das comunidades, que cada vez mais jovens têm procurado o curso. “Esta é a nossa turma de alunos mais jovem que já tivemos. Isso exemplifica que cada vez mais eles concluem o ensino médio e sentem a necessidade de procurar formação e repassar o conhecimento”.</p>Educadores de 33 etnias de Mato Grosso participam de curso de formação
Alunos decoram escola com materiais recicláveis em Cuiabáhttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Alunos-decoram-escola-com-materiais-recicláveis-em-Cuiabá.aspxAlunos decoram escola com materiais recicláveis em Cuiabá<img alt="Garrafas pets e copos de plásticos foram alguns dos materiais utilizados " height="200" src="/Galeria%20de%20Fotos/gincana%20escola%20raio%20de%20sol.jpg" width="300" style="BORDER:0px solid;" /><span><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;"><br></span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;">Uma gincana entre professores e alunos da Escola Raio de Sol, resultou na decoração natalina usada para enfeitar o local. A escola, que oferta uma educação especial para pessoas com múltiplas deficiências, está situada no Bairro Grande Terceiro, em Cuiabá. </span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;"><img src="/PublishingImages/Paginas/Forms/ARRUMADAS/Alunos%20da%20escola%20Raio%20de%20Sol%20usam%20materiais%20recicláveis%20para%20decoração%20de%20natal.jpg" alt="Alunos da escola Raio de Sol usam materiais recicláveis para decoração de natal.jpg" style="margin:5px;width:510px;height:340px;" /><br></span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;">De acordo com a diretora da instituição, Eloína Rodigheri, os estudantes foram divididos em setores e um professor foi sorteado para coordenar os trabalhos de cada grupo. A ideia principal era a criação de uma decoração com foco na sustentabilidade.</span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;">“A intenção é trabalhar com o potencial criativo dos alunos, com a orientação dos professores. Pedimos que usassem materiais recicláveis para a produção da decoração, com intuito de aprofundar o conhecimento deles no que diz respeito à educação sustentável”, lembrou Eloína. </span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;">O resultado foi surpreendente, contou a educadora. “A criatividade foi usada de todas as formas, o que nos deixou bem surpresa com a qualidade das criações e com o entendimento do sustentável. Fora que, ficamos realizados em perceber que todos são capazes”</span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;">CDs, garrafas pets, copos plásticos, tampinhas, papéis e outros materiais foram usados para a construção de guirlandas, painéis, decorações em árvores e até mesmo na construção de personagens que fazem referência ao natal, como o boneco de neve. </span></p><p dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><span style="font-size:18.6667px;font-family:calibri;color:#000000;background-color:transparent;vertical-align:baseline;white-space:pre-wrap;">Atualmente, 124 alunos estão matriculados na Escola Raio de Sol, com idades de 03 a 65 anos com múltiplas deficiências. 51 deles são cadeirantes. </span></p><div dir="ltr" style="line-height:1.295;margin-top:0pt;margin-bottom:8pt;"><img src="/PublishingImages/Paginas/Forms/ARRUMADAS/CDs,%20garrafas%20pets,%20copos%20plásticos,%20tampinhas,%20papéis%20e%20outros%20materiais%20foram%20usados%20para%20a%20decoração.jpg" alt="CDs, garrafas pets, copos plásticos, tampinhas, papéis e outros materiais foram usados para a decoração.jpg" style="margin:5px;width:510px;height:340px;" /><br></div></span>​​Alunos decoram escola com materiais recicláveis em Cuiabá
Seduc recebe reitores da UFMT para debater projetos para a Educaçãohttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Seduc-recebe-reitores-da-UFMT-para-debater-projetos-para-a-Educação.aspxSeduc recebe reitores da UFMT para debater projetos para a Educação<img alt="" height="200" src="/Galeria%20de%20Fotos/reuniao%20edinho01%20(Small).jpg" width="300" style="BORDER:0px solid;" /><p>​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Representantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) se reuniram na Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) para debater sobre diversas parcerias e projetos para melhorar a formação de professores e o acesso à educação de povos indígenas, quilombolas e comunidades rurais de Mato Grosso. Na tarde desta terça-feira (06.11), eles foram recebidos pelo secretário adjunto de Política Educacional da Seduc, Edinaldo Gomes de Souza.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><img src="/Galeria%20de%20Fotos/reuniao%20edinho01%20(Small).jpg" alt="" style="margin:5px;width:510px;height:340px;" /><br></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Durante a reunião, os representantes também discutiram cooperações para cursos de qualificação e extensão. “Essa parceria é muito positiva, pois parte dos profissionais formados na licenciatura são absorvidos pelo Estado. Então, quando a Universidade se preocupa em melhorar a qualificação dos profissionais e em debater sobre temas relativos para o crescimento da sociedade, quem ganha diretamente são os nossos alunos, que terão educadores melhor qualificados”, afirmou o secretário.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Edinho também destacou que a Seduc está sempre aberta e disposta a debater sobre parcerias para o desenvolvimento da educação do Estado. “Estamos sempre de portas abertas para ouvir e trabalhar em prol do Estado”, disse.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O vice-reitor da UFMT, Evandro Soares, ressaltou a importância do trabalho em conjunto para a execução de políticas públicas para a inclusão social. “Estamos construindo uma conversa para criar um programa de qualificação para professores, técnicos e educadores, para aumentar a nossa massa crítica de raciocínio crítico e plural, que possa alavancar o estado de Mato Grosso tanto na Educação, quanto no setor produtivo”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Segundo Evandro, a UFMT irá formalizar, ainda em 2016 uma proposta para que a Secretaria avalie o programa, bem como políticas de inclusão. “Ainda este ano traremos uma proposta de vários setores da universidade, sobre tecnologia da informação, que falará sobre tecnologia da educação, inovação tecnológica, programas para educação a distância e principalmente para áreas quase isoladas”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><strong>Parcerias</strong></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Atualmente, o Estado e Universidade já realizam o projeto “Educomunicação, Ciência e Outros Saberes: Um estudo do trabalho colaborativo e compartilhável em narrativas transmídias”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Por meio da iniciativa, a comunidade escolar tem acesso a exposições fotográficas, vídeos, textos e jornal produzidos pelos estudantes, além da Plataforma+10, pela qual os alunos compartilham conteúdo e conhecimento.</p><div><br></div>Seduc recebe reitores da UFMT para debater projetos para a Educação
Professores participam de curso de formação para educação de cegoshttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Professores-participam-de-curso-de-formação-para-educação-de-cegos.aspxProfessores participam de curso de formação para educação de cegos<img alt="" height="168" src="/Galeria%20de%20Fotos/Aniversário%20Liceu%20Cuiabano%20(Small).jpg" width="300" style="BORDER:0px solid;" /><p>​​​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Professores de salas de Recursos Multifuncionais da rede estadual de ensino participam nesta semana (de 05 a 10.12) do curso de formação continuada na área da Deficiência Visual/Ciências Exatas. O evento é promovido pela Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT), por meio da Superintendência de Diversidades Educacionais / Coordenadoria de Educação Especial, em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><img src="/Galeria%20de%20Fotos/Aniversário%20Liceu%20Cuiabano%20(Small).jpg" alt="" style="margin:5px;width:510px;height:286px;" /><br></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Ministrado pelo professor especialista Oberdan José Teixeira Chaves, a formação tem como objetivo subsidiar os educadores de Atendimento Educacional Especializado (AEE), em quesitos como Código Matemático Unificado para a Língua Portuguesa e Grafia Química Braille para uso no Brasil.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><img src="/PublishingImages/Paginas/Forms/ARRUMADAS/Curso%20Deficiência%20Visual%20-%20Ciências%20Exatas%20-%20GCom%202%20(Small).jpg" alt="Curso Deficiência Visual - Ciências Exatas - GCom 2 (Small).jpg" style="margin:5px;width:510px;height:286px;" /><br></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Oberdan é graduado em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade do Estado do Pará, com especialização em Deficiência Visual pelo Instituto Benjamin Constant, e especialização em Mídias na educação pela Universidade Federal do Amapá. Atualmente, é professor do Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual do Amapá.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">De acordo com ele, a iniciativa visa capacitar e auxiliar os profissionais que trabalham com alunos deficientes visuais no estado. “O professor muitas vezes, em especial o profissional que leciona Química e Física, encontra dificuldade para ensinar o conteúdo ao aluno deficiente visual ou de baixa visão. Por isso, é importante que a Secretaria promova formação que contemple metodologias de ensino para que o estudante adquira o conhecimento significativo nessas áreas e não se sinta excluído”. </p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">A educadora Geicy Moraes, professora da Sala de Recursos da Escola Estadual Cremilda de Oliveira, de Primavera do Leste, ressalta que o professor é peça importante no processo educacional, necessitando que tenha introduzida na sua formação questões que o auxiliem a modificar suas concepções acerca da inclusão de alunos deficientes visuais, visando uma maior qualidade de ensino. A unidade atende 15 estudantes com deficiências múltiplas.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Geicy, que tem dois alunos com baixa visão, garante que encontros como este realizado nesta semana, em Cuiabá, são importantes para troca de experiência e para renovar os conhecimentos. “No interior temos mais dificuldade de encontrar cursos nas áreas. Aqui, temos a chance de conversar com colegas, buscar informações e dividir as práticas adotadas nas unidades escolares e que serão multiplicadas para os estudantes e também para professores das salas regulares”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Vânia Oliveira de Alcântara, professora da Sala de Recursos Multifuncionais, do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Almira de Amorim Silva, em Cuiabá, diz que a formação auxilia não só os alunos, mas também os educadores. “Seremos multiplicadores para os professores das áreas de exatas em nossas unidades escolares”, aponta.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><img src="/PublishingImages/Paginas/Forms/ARRUMADAS/Curso%20Deficiência%20Visual%20-%20Ciências%20Exatas%20-%20Vânia%20Oliveira%20(Small).jpg" alt="Curso Deficiência Visual - Ciências Exatas - Vânia Oliveira (Small).jpg" style="margin:5px;width:510px;height:286px;" /><br></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"><strong>Direito</strong></p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">A rede estadual de ensino conta, atualmente, com cerca de 500 estudantes com deficiência visual</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O gerente de Educação Especial da Seduc-MT, Marcino Benedito, destacou que por conta da Política de Educação Inclusiva, da legislação e da luta dos movimentos sociais representativos dos mais diferentes segmentos da sociedade, um número cada vez mais expressivo de alunos com deficiências está frequentando escolas regulares. “Isto tem levado a uma profunda reflexão acerca do papel e das finalidades da escola, de tal modo que, no avanço das discussões, vai se consolidando a percepção de que as diferenças na sala de aula. Antes de serem um complicador, podem se tornar um fator de qualificação e de enriquecimento do ensino”.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">De acordo com ele, para isso a Seduc-MT tem buscado garantir a todas as crianças com deficiência o acesso ao ensino regular, a participação, a aprendizagem e a continuidade em todos os níveis de ensino.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Marcino salienta que os principais instrumentos para a efetivação dessa política são o atendimento educacional especializado; a formação inicial e continuada dos professores para o atendimento educacional especializado e demais profissionais da educação para uma visão de escola inclusiva; a participação da família e da comunidade na construção e no acompanhamento do projeto político-pedagógico da escola; e a utilização dos recursos de acessibilidade na arquitetura dos prédios, nos meios de transporte e locomoção, no mobiliário, na comunicação, na informação e na aprendizagem.</p>Professores participam de curso de formação para educação de cegos

Último Vídeo ( + Vídeos )

 

 

A PSICOMOTRICIDADE E A EXPRESÃO CORPORAL, UMA ATIVIDADE VITAL NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEMhttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/A-PSICOMOTRICIDADE-E-A-EXPRESÃO-CORPORAL,-UMA-ATIVIDADE-VITAL-NO-PROCESSO-DE-ENSINO-APRENDIZAGEM.aspxA PSICOMOTRICIDADE E A EXPRESÃO CORPORAL, UMA ATIVIDADE VITAL NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM
PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E METODOLÓGICAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO HÁBITO DA LEITURAhttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/PRÁTICAS-PEDAGÓGICAS-E-METODOLÓGICAS-NECESSÁRIAS-PARA-O-DESENVOLVIMENTO-DO-HÁBITO-DA-LEITURA.aspxPRÁTICAS PEDAGÓGICAS E METODOLÓGICAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO HÁBITO DA LEITURA

 

 

Governo constrói oito novas escolas técnicas e quase dobra capacidade no ensino técnicohttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Governo-constrói-oito-novas-escolas-técnicas-e-quase-dobra-capacidade-no-ensino-técnico.aspxGoverno constrói oito novas escolas técnicas e quase dobra capacidade no ensino técnico<p>​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O governador Pedro Taques visitou na manhã desta quarta-feira (07.12) a obra de construção da Escola Técnica Estadual de Educação Profissional e Tecnológica de Cuiabá, localizada no bairro Carumbé. A previsão de entrega é para dezembro do ano que vem. Com a inauguração de outras sete escolas que estão em fase de construção, Mato Grosso irá praticamente dobrar sua capacidade no ensino técnico.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">“Mato Grosso tem nove escolas técnicas e nós estamos construindo mais oito. Isso significa que, até o final de 2017, Mato Grosso dobrará o número de escolas técnicas. O mundo todo investe em ensino tecnológico. Nós precisamos de doutores, mas precisamos também de técnicos. Isso demonstra que Mato Grosso está pensando estrategicamente, porque construir novas escolas técnicas é pensar no futuro. Estamos investindo cerca de R$ 12 milhões em cada obra”, avaliou o governador.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Além da capital, os municípios que recebem o investimento são: Campo Verde, Sorriso, Cáceres, Juara, Primavera do Leste, Matupá, Água Boa. A obra na escola de Cuiabá tem área total de 5.677 metros quadrados e está 27% concluída. O contrato é de R$ 11.044.020,95, sendo que o Estado já pagou R$ 3.089.519,99.​</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), serão 12 salas de aula com capacidade para 40 alunos por turma, num total de 480 por turno, o que gera uma capacidade para 1.440 alunos por dia. O governador já autorizou a realização de um concurso público para preencher 168 vagas do corpo docente. Até o final de dezembro, a empresa que fará o edital deve ser contratada. Além dos concursados, também haverá contratação de profissionais liberais das áreas afins para ministrar as aulas.</p><p style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">De acordo com a secretária de Ciência e Tecnologia, Luzia Trovo, os cursos serão de nível médio, no entanto, futuramente o Estado planeja oferecer cursos superior tecnológicos. “Estamos concluindo estudos de demandas das regiões que irão receber as novas escolas para que possamos oferecer cursos que vão ao encontro das necessidades de cada região. A educação profissional em Mato Grosso cumpre o papel de contribuir para o crescimento do Estado”, disse a secretária.​</p><p>​</p>2016-12-09T03:00:00.0000000Z
Governo informa que servidores já começam a receber nesta quintahttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Governo-informa-que-servidores-já-começam-a-receber-nesta-quinta.aspxGoverno informa que servidores já começam a receber nesta quinta<p>​​</p><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">O Governo do Estado iniciou o pagamento dos salários dos servidores públicos nesta quinta-feira (08.12). Alguns funcionários já tiveram os valores creditados nas respectivas contas e o pagamento a todos será finalizado na sexta-feira (09.12), conforme já informado pelo Executivo.</div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"> </div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">A antecipação é decorrente da entrada de receita no caixa do Tesouro, cujo valor permitiu dar início ao pagamento e mostra a atenção do governo no acompanhamento diário minucioso do fluxo financeiro para priorizar o pagamento dos servidores públicos estaduais.</div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"> </div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">Cumprindo a Constituição Estadual, o governo estabeleceu calendário de pagamento no dia 10 do mês subsequente ao trabalhado, com previsão de vigorar até junho de 2017. Tal medida foi tomada em função do descompasso entre a receita e despesa decorrente da crise econômica pela qual passa todo o país, atingindo significativamente os estados. Diversas unidades da federação já estão atrasando ou parcelando o pagamento dos salários dos seus servidores.</div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"> </div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">A efetivação do calendário visa também permitir aos servidores se programarem para agendar o pagamento de suas obrigações pessoais.</div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;"> </div><div style="color:#555555;font-family:calibri, arial, helvetica, sans-serif;font-size:16px;text-align:justify;background-color:#ffffff;">No dia 20 de dezembro será pago o 13º salário de todos os servidores, tanto dos efetivos que fazem aniversário em dezembro, quanto dos exclusivamente comissionados.</div>2016-12-08T03:00:00.0000000Z
Histórias de Mato Grosso inspiram apresentações de escola de Matupáhttp://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/Histórias-de-Mato-Grosso-inspiram-apresentações-de-escola-de-Matupá.aspxHistórias de Mato Grosso inspiram apresentações de escola de Matupá<p>​</p><p style="text-align:justify;">O pensamento econômico, social e cultura do Estado foi apresentado por meio de pesquisas realizadas pelos alunos e professores do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Luiza Miotto Ferreira, em Matupá. </p><p style="text-align:justify;">Várias apresentações foram feitas durante a sexta-feira (02.12) como forma de apresentar os resultados. Cartazes, banners, artesanatos e outras manifestações culturais fizeram parte da programação. </p><p style="text-align:justify;">Os temas envolveram desde os sabores da culinária mato-grossense, a cultura indígena e até mesmo um estudo sobre a colonização do norte do Estado – destacando os municípios de Matupá, Peixoto de Azevedo e Guarantã do Norte. </p><p style="text-align:justify;">A noite foi marca ainda por apresentações de capoeira, de canções da etnia Terena e do grupo do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) de Matupá. </p>2016-12-07T03:00:00.0000000Z

  
  
Tamanho da Imagem
  
  
  
Pop-up site - Prorrogação PAS_.jpgPop-up site - Prorrogação PAS_1196 x 723216 KB 01/12/2016 17:58http://www.seduc.mt.gov.br/Paginas/default.aspx

 

 

Educadores de 33 etnias de Mato Grosso participam de curso de formaçãohttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7132&RootFolder=/Galeria de FotosEducadores de 33 etnias de Mato Grosso participam de curso de formaçãoEducadores de 33 etnias de Mato Grosso participam de curso de formação
Seduc e Ministério Público firmam acordo para reduzir conflitos nas escolashttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7131&RootFolder=/Galeria de FotosSeduc e Ministério Público firmam acordo para reduzir conflitos nas escolasSeduc e Ministério Público firmam acordo para reduzir conflitos nas escolas
Aluno da rede estadual vence concurso nacional de redaçãohttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7130&RootFolder=/Galeria de FotosAluno da rede estadual vence concurso nacional de redaçãoAluno da rede estadual vence concurso nacional de redação
Seduc recebe reitores da UFMT para debater projetos para a Educaçãohttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7128&RootFolder=/Galeria de FotosSeduc recebe reitores da UFMT para debater projetos para a EducaçãoSeduc recebe reitores da UFMT para debater projetos para a Educação
Professores participam de curso de formação para educação de cegoshttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7127&RootFolder=/Galeria de FotosProfessores participam de curso de formação para educação de cegosProfessores participam de curso de formação para educação de cegos
Liceu Cuiabano comemora 135 anos com legado histórico e educacionalhttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7126&RootFolder=/Galeria de FotosLiceu Cuiabano comemora 135 anos com legado histórico e educacionalLiceu Cuiabano comemora 135 anos com legado histórico e educacional
Após rescindir contratos, Governo do Estado retomará obras de escolashttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7125&RootFolder=/Galeria de FotosApós rescindir contratos, Governo do Estado retomará obras de escolasApós rescindir contratos, Governo do Estado retomará obras de escolas
Proposta de ampliação do ensino integral é apresentada à equipe da Seduchttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7124&RootFolder=/Galeria de FotosProposta de ampliação do ensino integral é apresentada à equipe da SeducProposta de ampliação do ensino integral é apresentada à equipe da Seduc
Estudantes abraçam diversas áreas do conhecimento em ‘atividades extracurriculares’http://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7123&RootFolder=/Galeria de FotosEstudantes abraçam diversas áreas do conhecimento em ‘atividades extracurriculares’Estudantes abraçam diversas áreas do conhecimento em ‘atividades extracurriculares’
Seduc-MT inicia cadastro para matrícula onlinehttp://www.seduc.mt.gov.br/Galeria de Fotos/Forms/DispForm.aspx?ID=7122&RootFolder=/Galeria de FotosSeduc-MT inicia cadastro para matrícula onlineSeduc-MT inicia cadastro para matrícula online