Conteúdo da Página
  
  
Seduc abre licitação para construção de quadra poliesportiva

Alunos da Escola Estadual Lourenço Peruchi, localizada em São José dos Quatro Marcos (315 km de Cuiabá), estão prestes a ganhar um reforço para a prática de atividades físicas e culturais. Isso porque a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) deu início ao processo licitatório para construção da quadra poliesportiva da escola. Atualmente, as aulas são realizadas na quadra destinada ao uso de toda a comunidade do município.

A licitação, na modalidade Tomada de Preços, está publicada no Diário Oficial que circulou na quinta-feira (27.04). A empresa responsável pela obra, que deverá observar as normas vigentes de acessibilidade e segurança, será escolhida no dia 17 de maio, às 14h, no auditório da Seduc, em Cuiabá. O edital e anexos com todas as informações estão disponíveis no portal da Secretaria de Educação, na seção Licitação.

O diretor da EE Lourenço Peruchi, Nivaldo Moisés Martinhão, conta que a unidade foi construída no final da década de 1970 e nunca teve quadra poliesportiva, de modo que as atividades físicas sempre foram praticadas em outros espaços públicos.

“Estamos muito contentes pela abertura desse processo licitatório, porque essa quadra trará mais tranquilidade e comodidade para os nossos alunos, que não vão mais precisar se deslocar para outros lugares. Agora esperamos que a construção comece o quanto antes”, disse o diretor.

Ainda nesta semana, a Seduc lança outras licitações para construções em todo o Estado. Todas as obras fazem parte do Pró-Escolas, o maior programa de ações e investimentos da história da educação de Mato Grosso. 


28/04/2017Seduc-abre-licitação-para-construção-de-quadra-poliesportivaNovo
Governo do Estado inaugura escola do modelo Tiradentes em Confresa

O governador Pedro Taques e o secretário de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), Marco Marrafon, inauguraram a Escola Estadual Militar Tiradentes CB José Martins de Moura, no município de Confresa (1.160 km Nordeste de Cuiabá), na noite desta quinta-feira (27.04). O Estado também anunciou a construção de um Centro Integrado Escola Comunidade (Ciec) no município, orçado em R$ 12 milhões, cuja obra deverá ser entregue em 2018.

A inauguração foi realizada durante a Caravana da Transformação, que ocorre em Porto Alegre do Norte (1.125 km a Nordeste de Cuiabá). A unidade irá atender 180 alunos, do 7º ao 9º anos, nos períodos matutino e vespertino. A expectativa é de que no mês de agosto um novo prédio seja inaugurado, o que quadruplicará a capacidade da escola, projetada para 720 vagas.

“Nós estamos aqui na Caravana da Transformação, já visitamos Santa Cruz do Xingu, São José do Xingu, Vila Rica, Bom Jesus do Araguaia e Santa Terezinha, tudo isto para mostrar o Estado presente em todas as regiões de Mato Grosso. Agora temos o orgulho de inaugurar mais uma escola militar para os nossos alunos”, afirmou o governador Pedro Taques.

Segundo o secretário Marco Marrafon, há muito tempo a região de Confresa pedia por uma escola com este modelo de gestão. “Temos o orgulho de trazer à Confresa uma escola com a metodologia diferenciada, de busca de uma formação cidadã e humanitária”, afirmou.

Marrafon destacou que o Estado tem se esforçado para cumprir o seu lema, de “não deixar nenhum mato-grossense para trás” e anunciou outros investimentos em Confresa, como pinturas e reformas de escolas, construção de quadra poliesportiva e climatização de salas de aula.


“Temos muitas novidades para a Educação no município de Confresa, estamos fazendo uma verdadeira revolução. Há três meses estive aqui, fiz uma visita às escolas, conheci a realidade, ainda não conseguimos entregar tudo, mas já tem muita coisa mudando”, afirmou.

De acordo com Marrafon, a Seduc vai construir um Centro Integrado Escola-Comunidade (CIEC) em Confresa. Outros 14 municípios do Estado também irão contar com a unidade que será uma referência em estrutura física, com 18 salas e capacidade para atender mais de 1,5 mil alunos. A expectativa é que comece a ser executada no segundo semestre e entregue em 2018.

“Por determinação do governador Pedro Taques, também teremos uma Escola Plena, de período integral, aqui em Confresa. Este é um modelo inovador que vem dando muito certo em diversos estados e que nós estamos adotando aqui. Não havia escolas integrais no Estado, até 2016 criamos quatro, subimos para 15 unidades e a expectativa é de que tenhamos ao menos 40 em 2018”, disse.

PARCERIA

A nova escola de modelo de gestão Tiradentes é fruto de uma parceria com a Prefeitura de Confresa, que cedeu um prédio enquanto a Seduc termina de construir a nova unidade. O prefeito Rónio Condão ressaltou a importância das parcerias para a melhoria do ensino no Estado.

“Isto é uma verdadeira transformação. Transformação começa assim, por uma educação de qualidade. A população vai ganhar, o Pró-Escolas não é só para Confresa, é para os outros municípios também. No final todos trabalham e todos ganham”, afirmou. 

​Os trabalhos no corpo pedagógico da Escola Estadual Militar Tiradentes CB José Martins de Moura estão previstos para iniciar no próximo dia 2 de maio e as aulas no dia 22. Os alunos irão ingressar na unidade por meio de processo seletivo.

Assim que o novo prédio for inaugurado, a Escola de Confresa será uma das referências das novas escolas de Mato Grosso.

28/04/2017Governo-do-Estado-inaugura-escola-do-modelo-Tiradentes-em-ConfresaNovo
Professora de MT integra projeto internacional de astronomia

​​​A professora Silvana Copceski ao lado de secretário de Educação, Marco Marrafon e da ex-aluna Maria ​​Gisllany - Foto: Seduc-MT.

A professora da rede estadual Silvana Copceski, de Tangará da Serra (240 km de Cuiabá), poderá ser a primeira educadora mato-grossense a integrar um projeto de buscas por asteroides, desenvolvido pelo matemático e astrônomo Patrick Miller, da Universidade de Hardin-Simmons, no Texas (EUA). Silvana já é conhecida pelo seu trabalho no Missão X, projeto da Nasa que estimula os estudantes a manter uma vida saudável e de pesquisas.

O convite para integrar o treinamento de professores veio do próprio Patrick. "Eu o conheci em uma viagem para os Estados Unidos, onde ele conheceu o trabalho que desenvolvia aqui junto ao Missão X. Foi aí que nos aproximamos e o convite acabou acontecendo. Outros professores vão participar desse treinamento, que ainda não tem data para acontecer", destacou.

A expectativa da professora é de integrar o treinamento e colocar em prática as atividades dentro das escolas em que ela atua. Além disso, ela poderá capacitar outros professores para desenvolver as atividades de busca por asteroides. "Para essa atividade a gente só precisa de um computador com internet".

É por meio de uma conexão online que Silvana assiste todas às terças e quintas-feiras as aulas do professor Patrick, direto da Universidade de Hardin-Simmons. Além de cuidar do Missão X, Silvana ministra aulas de matemática na rede estadual.

O Missão X é um projeto da Nasa que visa a fomentar a pesquisa entre os estudantes e a prática de bons hábitos de vida. "Em um dos casos, eles pesquisam sobre a vida dos astronautas. Para ser um deles, é preciso ter uma alimentação saudável, então os alunos colocam em prática tudo que vem sendo pesquisado e debatido dentro do projeto", contou.


No começo de abril, Silvana participou do 10º Congresso Internacional de Astronomia e Astronáutica, onde foi incentivada por Patrick a palestrar sobre o Missão X. "Foi muito gratificante. Tinha participantes do mundo todo e pude mostrar o trabalho que estamos desenvolvendo nas escolas. Quando a apresentação foi finalizada, recebi muitos feedbacks", disse.

A professora acrescenta que a expectativa agora é de integrar o treinamento do professor Patrick, que também é diretor e fundador da Campanha Internacional de Buscas de Asteroides (IASC, em inglês). Por sua atuação junto aos projetos da Nasa, Silvana chegou a ganhar dois meteoritos.

"O professor Patrick me deu os meteoritos para eu mostrar para os alunos com quem trabalho. Eu tenho dois pedaços do céu que posso colocar na mão dos meus alunos", finalizou.

Os meteoritos se originam da órbita de Marte e Júpiter. Segundo Silvana, eles estavam presos em um objeto do tamanho da lua. O meteorito de metal vem do núcleo desse objeto e, o outro, de perto da superfície. 


28/04/2017Professora-de-MT-integra-projeto-internacional-de-astronomiaNovo
Nota de Esclarecimento - Seduc

A respeito da construção de unidade escolar com oito salas de aula, laboratório de informática, refeitório e demais instalações no município de Nova Lacerda, a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) ressalta que, em 2015, atendeu solicitação da Ampla Engenharia e Construção LTDA-EPP e, por meio de um Termo de Acordo Pactuado (TAP) firmado entre as partes, concedeu mais 300 dias, improrrogáveis, à empresa, para que a obra fosse concluída.


A Seduc chegou a notificar a empresa cobrando agilidade na realização​ dos trabalhos, sob pena de multa. As obras encontram-se paralisadas, de forma unilateral, desde maio de 2016, após a Ampla entrar com um pedido junto à Seduc de suspensão do TAP. Em razão disso, a Seduc pretende dar início ao ​processo de rescisão contratual e enfatiza que os pagamentos à empresa, em relação às medições feitas, estão em dia.

Uma nova licitação para o término da obra será realizada e, nesse período, os alunos serão atendidos com as unidades modulares de ensino. O processo para abertura de licitação que visa à aquisição das salas móveis está em andamento e, em julho, a ordem de serviço para utilização das estruturas será emitida.

Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc)

27/04/2017Nota-de-Esclarecimento---Seduc
Prorrogado prazo para solicitação de reserva técnica

A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) informa que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou o prazo para a solicitação de Reserva Técnica de livros didáticos pelas unidades escolares. O prazo, que era até o dia 30 de abril, foi prorrogado até 04 de maio.

De acordo com as informações, a Reserva Técnica se destina a ajudar a quantidade real de estudantes e a quantidade de livros disponíveis em cada escola, quando o remanejamento de livros não for suficiente.

Para isso, a Coordenação-Geral dos Programas do Livro (CGPLI), do Governo Federal, disponibilizou, em 2017, um sistema específico para realizar a Reserva Técnica. O PDDE interativo foi utilizado como plataforma para o desenvolvimento do sistema. Essa plataforma é uma ferramenta de apoio à gestão escolar desenvolvida pelo Ministério da Educação, em parceria com as Secretarias de Educação e está disponível para todas as escolas públicas cadastradas no Censo Escolar.

As escolas devem acessar o site pddeinterativo.mec.gov.br ​​e realizar o seu diagnóstico. Em seguida, o sistema mostrará o saldo de livros da escola. Se houver falta de livros, a escola solicita a quantidade que falta.

O técnico Anderson Rogerio Pereira, do Núcleo de Projetos Educacionais da Seduc, explica que cabe à secretaria analisar e validar esses pedidos de Reserva Técnica solicitada pelas escolas, realizando os ajustes necessários. "Antes de solicitar reserva técnica, ​é importante que a escola se certifique de que todas as encomendas destinadas à unidade foram recebidas".

Ele lembra ainda que cada escola será atendida apenas uma vez.

Outras orientações para solicitação de reserva técnica estarão disponíveis no portal do FNDE, em www.fnde.gov.br  ​Programas >> PNLD >> Apoio à Gestão.

 

27/04/2017Prorrogado-prazo-para-solicitação-de-reserva-técnica-e-remanejamento-
Aluno da Rede Estadual é selecionado para o Cuiabá Arsenal



Desde pequeno, João Pedro Abrante dos Santos, aluno do 3º Ano da Escola Plena Antônio Epaminondas, em Cuiabá, já apresentava uma aptidão à prática esportiva. Ex-ciclista e atualmente jogador de futebol americano do Cuiabá Arsenal, o estudante afirma que alinhar o estudo e o esporte foi uma das formas de se disciplinar e obter bons resultados.

"Desde pequeno eu praticava esportes. Futebol, basquete, corrida, mas sempre na brincadeira. Nada oficial. Com 15 anos, comecei a me interessar pelo ciclismo, foi o esporte que me marcou. Me apaixonei e comecei a competir", disse o estudante, que hoje está com 18 anos.

Após três anos dedicados ao esporte e algumas vitórias em competições, em outubro de 2016 João precisou dar uma pausa no ciclismo por conta de um problema no joelho. Mas isso não o impediu de continuar sua vida de atleta. Foi aí que surgiu o convite para integrar a equipe do Cuiabá Arsenal.

​"Um amigo meu já fazia parte da equipe, está no time dos novatos. Então eu fui, me inscrevi e fui chamado. Foi tudo muito rápido, dia 30 de abril é o meu primeiro jogo, vou atuar como running-back, que é um atacante, que fica no fundo do campo", explicou.


João é morador de Várzea Grande, e para chegar na EE Antônio Epaminondas, no Bairro Lixeira, pega o transporte público às 5h. "Chego na escola por volta das 6h30. Fico até às 17h. Nos dias de treino, fico esperando até as 20 horas, no Dutrinha", contou.

​Segundo o estudante, há dias em que ele pega até seis ônibus para conseguir concluir sua rotina de aulas e treinos. "A vida de atleta já é difícil. E conciliar com a de estudante, fica mais difícil ainda. Você precisa de foco e disciplina para conseguir cumprir seus deveres e atingir suas metas e bons resultados, seja dentro ou fora da sala e ir se superando".

Jackson Regis, coordenador da área de linguagens,​ conta que o menino é esforçado e se destaca por ser bastante participativo nas aulas. "É muito fácil trabalhar com ele, que já tem um direcionamento e sabe o que quer. Por isso, a gente consegue trabalhar mais diretamente com esses alunos".

O coordenador lembra que, além de João, a escola já lançou outros jovens com futuros promissores, como o artista plástico Henrique Magalhães; a intenção da escola, especialmente agora, dentro do projeto da Escola Plena, é impulsionar o projeto de vida dos estudantes para que eles possam se projetar para o futuro.

João se prepara para a sua estreia no Cuiabá Arsenal, mas ainda assim, almeja um bom resultado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em novembro. "Quero cursar Engenharia Elétrica. O esporte é uma paixão, uma coisa não impede a outra", finalizou. 


27/04/2017Aluno-da-Rede-Estadual-é-selecionado-para-o-Cuiabá-Arsenal-
Diretores e secretários passam por formação sobre gestão escolar


A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) e o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE) finalizaram nesta quinta-feira (26) a formação de diretores e secretários escolares de 14 Escolas Plenas, que funcionam em período integral em Mato Grosso.

De acordo com Waleska Gonçalves de Lima, da Coordenadoria de Ensino Médio da Seduc, a atividade encerra o ciclo de formação dos gestores das escolas, que tiveram a oportunidade de conhecer melhor suas funções dentro do modelo educacional, bem como seu papel de liderança do grupo.

"Dentro do projeto da Escola Plena, o diretor não sofre alteração de função. Ele segue como gestor, assim como é determinado na legislação. Porém, a metodologia educacional vem de encontro com a real realização do papel do mediador e organizador da demanda e da discussão da função do diretor", explicou.

Creuza Maria de Amorim Barros, diretora da EE José de Mesquita, em Cuiabá, contou que o curso foi muito bom para entender a dimensão da liderança do diretor. "A Escola Plena está com essa dimensão maior da escola e faz com que os gestores possam aprender mais sobre sua função dentro desse modelo, além da equipe como um todo".

A professora destacou que tem aprendido muitas coisas novas durante as formações, que tem participado e que tem levado o conhecimento adquirido para ser colocado em prática dentro da rotina escolar. "Em três anos como diretora, já precisei exercer várias funções que não me cabiam. O diretor não precisa resolver tudo. Mas ele pode delegar, cuidar da gestão e acompanhar as ações e garantir a melhoria dos resultados", contou.

O diretor da EE Mário Spinelli, de Sorriso, Paulo Nestor, contou que a formação traz à memória o que já havia sido estudado e ressaltou a importância da liderança servidora. "Foi muito importante sair do modelo educacional regular e entrar no integral. Estamos mergulhando no projeto e a transição está sendo feita da melhor forma possível", contou.

Com pouco mais de um mês de funcionamento do modelo da Escola Plena, o diretor contou que os alunos e os profissionais já pegaram o ritmo. "Já respiramos a Escola Plena. Temos conquistas com poucos dias do ano letivo, como a criação de novos projetos, como as disciplinas eletivas e os clubes de protagonismo. Os alunos já estão tendo essa maturidade. Já é perceptivel o protagonismo dos nossos alunos", finalizou. 

27/04/2017Diretores-e-secretários-passam-por-formação-sobre-gestão-escolar
Seduc detalha à AL ações realizadas e planejamento para os próximos anos

​​

Em reunião na Assembleia Legislativa na tarde desta quarta-feira (26.04), a convite da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, a equipe da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) apresentou o resultado de algumas das principais ações realizadas ao longo do ano de 2016, além do planejamento de metas prioritárias definido para os próximos anos.


Representando a Seduc, o secretário-executivo Luciano Bernart informou que, em 2016, a Seduc implementou medidas para desburocratizar os processos e melhorar a gestão.

“Antes, para que uma medição de obra fosse feita, o trâmite burocrático levava dois meses até que, de fato, os trabalhos tivessem início. As medições, agora, são realizadas em média cinco dias após a apresentação da documentação”, exemplificou Bernart. Ele assumiu o cargo em maio de 2016, junto com Marco Marrafon como titular da Seduc. Marrafon encontra-se em atividade pela Caravana da Transformação, no município de Porto Alegre do Norte.

Bernart informou também que, em razão de questões judiciais, obras em algumas escolas tiveram de ser paralisadas, porém, que todas elas já se encontram em processo de licitação para que os serviços sejam retomados – o que deve ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano. O secretário adjunto aproveitou a oportunidade para falar dos problemas de estrutura encontrados nas unidades de ensino, durante visitas realizadas pela Seduc desde o ano passado.

“Identificamos que, das 759 escolas, ao menos 400 precisam de revitalização geral. Algumas unidades estão sem receber qualquer reparo há 40 anos”, observou.

Para enfrentar o descaso histórico, Bernart destacou o Pró-Escolas, programa que busca o aprimoramento de uma formação mais humanística por parte de profissionais e estudantes, aliado à melhoria da aprendizagem e redução da evasão escolar. Lançado oficialmente pelo Governo do Estado no dia 30 do mês passado, a iniciativa prevê o desenvolvimento de uma série de ações nas áreas de estrutura, ensino, inovação, e esporte e lazer.

Somente na parte de estrutura, a Seduc investirá R$ 360 milhões até 2018. Serão erguidas 50 unidades de ensino, sendo 15 Centros Integrados Escola-Comunidade (CIECs, escolas do padrão mais elevado já projetadas pela Seduc), construídas 20 novas quadras poliesportivas e realizadas 70 reformas – num total de 140 obras.

Para atender as escolas que precisam de manutenção, pequenas e médias, inicialmente as que se encontram na região da Grande Cuiabá, a Seduc irá disponibilizar R$ 20 milhões. Uma única licitação, que contemplará todas as unidades escolares, será aberta em julho para que os serviços sejam iniciados, após a escolha da empresa.

Na reunião, Bernart pontuou que a Seduc está aberta para desenvolver, junto aos deputados estaduais, um trabalho conjunto no sentido de facilitar o acesso às emendas parlamentares. “Grande parte das emendas endereçadas à Secretaria que não são efetivadas nos munícios deve-se a problemas na documentação encaminhada pelas prefeituras. A Seduc já chegou a enviar uma equipe técnica para dar suporte às prefeituras”, enfatizou.

Acompanhou Bernart na reunião a equipe da Seduc formada pela coordenadora da Unidade de Correição, Janê Machado; o secretário adjunto de Obras e Estrutura Escolar, Allan Porto e o secretário adjunto de Política Educacional, Edinaldo Gomes de Sousa. 

O encontro na Assembleia Legislativa foi conduzido pelo presidente da Comissão, deputado Zé Domingos Fraga, e contou ainda com a presença de outros dois membros titulares, os deputados Wagner Ramos e Oscar Bezerra. Também participaram da reunião representantes das demais Secretarias de Estado.

27/04/2017Seduc-apresenta-à-AL-detalhes-de-ações-realizadas-em-2016-e-planejamento-para-os-próximos-anos
Escola Estadual 13 de Maio, em Tangará da Serra, oferecerá ensino de Libras

A Escola Estadual 13 de Maio, em Tangará da Serra, passará a oferecer aulas de Libras (Língua Brasileira de Sinais) aos estudantes, por meio do projeto “Ampliando as fronteiras da comunicação”. É por meio dessa modalidade linguística que as pessoas surdas se comunicam.


Em comemoração ao dia nacional da Língua Brasileira de Sinais, celebrado nesta segunda-feira (24.04), a direção da Escola Estadual 13 de Maio realizou uma atividade, entre os estudantes da unidade e os profissionais e alunos do Centro Municipal Integrado de Educação Especial Prof.ª Isoldi Storck, onde todos puderam praticar um pouco de Libras e interagir.

Na ocasião, foram realizadas ainda algumas oficinas, como por exemplo, de confecção de vassouras recicláveis de garrafas Pet.

O projeto será coordenado pelas professoras Jaiana Lacerda e Marciele Heidmann, com o apoio das intérpretes Lenira Lima, Isabela Soares e Jane Strey.

De acordo com as professoras, a iniciativa pretende “rescindir com essa separação entre mundo surdo e mundo ouvinte, reinventando as fronteiras de conceber a escola e suas práticas pedagógicas, assumindo uma abordagem bilíngue, onde surdos e ouvintes interajam entre si de forma construtiva”.​

26/04/2017Escola-Estadual-13-de-Maio,-em-Tangará-da-Serra,-oferecerá-ensino-de-Libras
Com oficinas de redação, escola de Apiacás estimula produção textual dos alunos

WhatsApp Image 2017-04-25 at 10.15.16.jpeg

Para aprimorar a escrita e melhor preparar os estudantes para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), duas professoras da Escola Estadual Portal da Amazônia, do município de Apiacás (1.010 km de Cuiabá), desenvolvem projeto de redação com alunos dos ensinos fundamental e médio.

 

O projeto é realizado na escola desde 2015 e, esse ano, envolve 40 alunos do ensino fundamental e 25 do ensino médio. As oficinas de redação são realizadas todas as segundas-feiras, das 17h às 19h, e vai fazer todo um acompanhamento das práticas escritas dos alunos no decorrer do ano.

 

“Nas oficinas são trabalhadas redações com abordagens da estrutura do texto dissertativo e argumentativo, bem como das competências exigidas na redação do Enem. Através desse projeto, espera-se que o aluno possa usar a língua e a linguagem em diferentes situações sociais, amplie a capacidade de leitura e de produção de textos – orais e escritos –, afim de estarem preparados para interagir diante de inúmeras situações”, explica a professora de Redação do ensino médio, Lenita Jorge de Araújo.  

 WhatsApp Image 2017-04-25 at 15.47.58.jpeg

O projeto tem, ainda, o objetivo de auxiliar os alunos a escreverem com fluência a elaboração da argumentação crítica sobre textos e assuntos variados, sempre usando a linguagem de maneira adequada. Também serão trabalhadas a escrita espontânea de diversos tipos de textos, leituras para embasar a escrita, construção de parágrafos – observando a coerência, coesão, pontuação e ortografia.

 

Taís Gomes da Silva – professora de Redação do ensino fundamental – conta que, através desse projeto, quer antecipar o desenvolvimento das produções textuais, aprimorar o modo de escrita e estimular o hábito de escrever e reescrever textos, preparando os alunos para as práticas de redação que serão propostas no ensino médio.

 

“Na metodologia, desenvolvi uma apostila contendo bons textos para incentivar a leitura e embasar as produções dos alunos. A apostila contém vários gêneros textuais – crônica, conto, descrição, dissertação, correspondência, cordel, dentre outros – que serão trabalhados nas oficinas de redação durante o ano”, diz Taís.

 

Ensinar os gêneros textuais e estimular a leitura vai minimizar as dificuldades que os alunos apresentam na produção textual. Através das oficinas, com temas direcionados, os jovens são preparados para ter condições de fazer um bom texto, para alcançar uma boa pontuação para o Enem, mas, também, são ensinamentos que eles levam para a vida.

26/04/2017Com-oficinas-de-redação,-escola-de-Apiacás-estimula-produção-textual-dos-alunos
Servidora da Seduc se prepara para publicar seu terceiro livro infantil

Escrever histórias didáticas para crianças é uma das paixões da psicóloga Neide Silva, que atua na Superintendência de Formação da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc). Com dois livros publicados e ilustrados pelo artista plástico Sebastião Silva, seu irmão. Neide se prepara para publicar o terceiro livro didático.

A paixão é recente, tem cinco anos. Começou durante a gravidez do seu filho Norberto. "Em uma noite, estava quase dormindo, mas tive um estalo e levantei para escrever", contou a servidora. A primeira obra foi batizada como "Cigamiguinho", filho do Cigarrão e da Formiguinha, que aborda a temática do aquecimento global.

Quando Norberto completou dois anos, Neide começou a escrever sua segunda obra. "Iribi Sabiá" conta a história de um pássaro que precisa da ajuda de seus amigos para realizar seus sonhos. O livro aborda ainda a descoberta dos sentimentos, processo pelo qual o filho passava na época.


A servidora reconhece que a leitura é importante para a criança no processo de alfabetização, mas destaca que a literatura infantil não tem idade. O terceiro livro, que está sendo finalizado, foi batizado como "Sabina, a Sapinha Bailarina".

"O livro falará de sentimento. Desta vez, a personagem terá que dançar conforme o ritmo de seu coração. É importante trazer esses elementos para a literatura infantil, especialmente com detalhes e características locais, como a fauna e flora, que são bem presentes nos livros. Isso cria uma identificação com os alunos e faz com que eles se apeguem e tenham comprometimento".

Enquanto a terceira obra não fica pronta, Niede disponibilizou para o portal a história "O Coelho e a Coelha", que traz como tema os costumes alimentares de dois tipos de coelhos. "Nas entrelinhas, a história problematiza os costumes de cada cultura dos coelhos, possibilitando levantar questões da diversidade cultural", disse a escritora.

Para ler "O Coelho e a Coelha", clique aqui


25/04/2017Servidora-da-Seduc-se-prepara-para-publicar-seu-terceiro-livro-infantil
Marrafon se reúne com diretores escolares para debater sobre investimentos

O secretário de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), Marco Marrafon, se reuniu com diretores e representantes da comunidade escolar de Santo Antônio de Leverger (34 km ao Sul de Cuiabá), nesta terça-feira (25.04), para debater sobre investimentos e melhorias para as 13 unidades estaduais do município.


O encontro foi realizado na Assessoria Pedagógica do município e contou com a presença de diretores de quatro escolas estaduais, EE Gustavo Dutra, EE Leônidas de Matos, EE Faustino Dias de Amorim, EE Oswaldita E.T.Couto e EE Hermes R. de Alcântara.

Marrafon também se reuniu com o prefeito Santo Antonio de Leverger, Valdir Castro Filho, o deputado estadual Allan Kardec e todos os vereadores da cidade. "Se caminharmos juntos, os resultados aparecerão mais rapidamente. Precisamos do apoio dos municípios e também da Casa de Leis de Mato Grosso, para desenvolver a educação, como o Estado merece", afirmou o secretário.

Valdir Castro, prefeito de Santo Antônio de Leverger, afirmou que acredita na austeridade da gestão e disse que a prefeitura e a Câmara Municipal dos Vereadores estão de portas abertas para a realizações de parcerias com o Estado. 

Durante a reunião, Marrafon debateu sobre a necessidade de melhoria na estrutura física das 13 escolas estaduais de Santo Antônio, que comportam mais 10 mil alunos.

"O debate e a conversa são fundamentais para o desenvolvimento da Educação. Nós esperamos melhorar a infraestrutura das unidades, pois sabemos da importância da boa ambiência escolar no trabalho dos professores e no processo de aprendizagem dos alunos. Mas também aproveitamos o encontro para debater questões de cunho pedagógico", afirmou o secretário.

Conforme a assessora pedagógica Valdete Aparecida da Conceição Arruda, a região tem como característica muito forte a educação do campo, uma vez que oito das 13 escolas são rurais e outras duas são indígenas. Por conta disso, as unidades contam com demandas específicas.

Marrafon, juntamente com o coordenador da Unidade de Relações Políticas da Seduc, João Batista receberam toda a demanda dos diretores e da Assessoria Pedagógica, em seguida foram visitar as EE Leônidas de Matos, EE Hermes R. de Alcântara e Oswaldita Couto.

25/04/2017Marrafon-se-reúne-com-diretores-escolares-para-debater-sobre-investimentos
Alunos da rede estadual podem participar do prêmio Construindo a Nação

Ensino Tempo Integral.jpg

Essa é uma ótima oportunidade para os estudantes da rede estadual de ensino que são engajados e socialmente responsáveis. A 17ª edição do prêmio "Construindo a Nação", do Instituto da Cidadania Brasil com apoio da Fundação Volkswagen, tem o propósito de conhecer, reconhecer e difundir as práticas de cidadania desenvolvidas por estudantes de escolas públicas e privadas em âmbito nacional.

O prêmio destacará as ações de sucesso empreendidas pelas agremiações estudantis e sua atuação nas demandas sociais das escolas e das comunidades nas áreas de saúde, cultura, tecnologia e produção (inclusão digital), filantropia, educação, comunicação, trabalho ou meio ambiente.

A iniciativa valoriza também o papel do educador no processo de formação do aluno, uma vez que, para participarem da premiação, a presença de um tutor é indispensável para orientação e condução do projeto junto à escola e aos alunos.

A melhor prática de cidadania será premiada com o valor de R$ 10 mil, revertidos em equipamentos eletrônicos para uso dos alunos na instituição de ensino.

Como participar

Grêmios estudantis e grupos de alunos que desenvolvam práticas cidadãs podem realizar as inscrições, gratuitamente, pelo site www.institutocidadania.org.br, até 30 de junho.

Os alunos devem, ainda, encaminhar um vídeo – de no máximo cinco minutos de duração – com as informações e visualizações da prática desenvolvida e os resultados obtidos. Serão aceitos projetos que sejam finalizados total ou parcialmente até setembro de 2017. O envio do vídeo deve ser feito até 30 de setembro via wetransfer.com para o e-mail transformadores@institutocidadania.org.br.

25/04/2017Alunos-da-rede-estadual-podem-participar-do-prêmio-Construindo-a-Nação
Seduc realiza concorrência para construção de escola no Pedra 90

 

A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) realiza nesta terça-feira (25.04) concorrência pública para contratação da empresa que executará a obra da nova Escola Estadual Mário de Castro, no bairro Pedra 90, em Cuiabá. A licitação ocorre no auditório localizado na sede da Seduc. Nove empresas participam do processo. A escola terá capacidade para atender 480 alunos por turno em 16 salas de aula.

A concorrência pública tem a finalidade de selecionar a proposta mais vantajosa para construção da Escola Padrão Seduc, que faz parte do Programa Pró-Escolas. Pelo projeto, o novo prédio terá, além das 16 salas de aula, sala de articulação, biblioteca e laboratórios de física, informática e química, espaços administrativos (diretoria, secretaria, coordenadoria, sala de professores, arquivo, copa e sanitários), refeitório, cozinha com área de higienização, cocção, depósito de alimentos, depósito de utensílios, sanitários e serviços.

Além disso, terá ainda quadra poliesportiva com vestiários feminino e masculino, instalações elétricas de baixa tensão, posto de transformação, instalações de combate a incêndio e pânico e internet wifi. Demais detalhes, como documentação necessária para participar da licitação, podem ser conferidos no link Licitação, que consta no site da Seduc.

A construção da nova unidade faz parte do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Seduc e o Ministério Público Estadual (MPE), que prevê a retomada de obras em 49 unidades escolares, paralisadas desde 2010. O cronograma elaborado pela Secretaria foi validado pelo MPE, por meio do procurador de Justiça Henrique Schneider. O investimento previsto para a realização da obra, que deve ser concluída no início de 2018, é de R$ 9,8 milhões.

A construção da unidade faz parte do Novo Sistema Educacional do Pedra 90, idealizado pela Seduc para transformar a região por meio da educação. O projeto compreende a construção de outras três escolas (Nova EE Rafael Rueda, Nova EE Malik Didier e uma Modelo Militar Tiradentes) e prevê que sejam desenvolvidas, em cada uma delas, atividades culturais, esportivas, tecnológicas e científicas, entre alunos, professores e comunidade.

Outras licitações estão previstas para serem lançadas ainda nesta semana. ​

25/04/2017Seduc-realiza-concorrência-para-construção-de-escola-no-Pedra-90
Educação de surdos é debatida em seminário na Seduc

Os desafios da educação para deficientes auditivos em todos os níveis do ensino são uns dos assuntos debatidos no Seminário Integração de Surdos, realizado no auditório da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), em Cuiabá. O evento, que segue até esta quarta-feira (26.04), conta com palestras e mesas-redondas, além da participação de aproximadamente 160 pessoas, entre ouvintes e deficientes auditivos.

A atividade é promovida pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), vinculado ao Instituto de Educação (IE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em parceria com a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e Seduc, por meio do Centro Estadual de Atendimento e Apoio ao Deficiente Auditivo (Ceaada) e o Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial (Casies).

De acordo com a professora da UFMT e coordenadora do Seminário, Tânia Maria de Lima, o objetivo do encontro é potencializar análises e debates sobre a educação de surdos em todos os níveis do ensino, ampliar o debate sobre escola de/para surdos, dando centralidade às interações entre estudantes, intérprete de Libras e professores regentes. O objetivo é obter avanços no processo de inclusão.

Além disso, a intenção é promover discussões sobre formação de professores para a educação de surdos, em especial no âmbito da educação superior e a integração entre docentes e estudantes da educação superior (graduação e pós-graduação) e docentes da educação básica, por meio de reflexões coletivas e de trocas de experiências sobre a educação de surdos. “Abrimos o espaço para esse importante debate sobre a escolarização do surdo e, principalmente, para ouvi-los. Contamos com a participação de importantes pesquisadores da área, professores e pais de alunos”, aponta.

Políticas públicas

Para a professora Tânia Lima, é importante que o assunto seja debatido nos espaços da Seduc. “A universidade produz conhecimento, pesquisas na área, mas sozinhos não resolvemos os problemas. Por outro lado, a Seduc tem o papel de definir políticas públicas para a escola de educação básica. Sendo assim, as parcerias são importantes para buscarmos as alternativas e resoluções dos problemas”.

O coordenador de Educação Especial da Seduc, Marcino Benedito, avalia que a educação de surdos enfrenta muitos desafios, principalmente quanto à criação de escolas bilíngues – um clamor da comunidade surda. “Precisamos também promover a conscientização das famílias sobre a importância da integração dessa criança ou jovem à sociedade e de sua educação formal”.

Ele destaca que a Seduc possui a reponsabilidade de dar continuidade às formações, também na Língua Brasileiras de Sinais (Libras). “Não apenas para termos mais intérpretes nos nossos municípios, que gera grande demanda, mas também para que o pedagogo, o professor de história, geografia ou matemática, saiba lidar no dia a dia com esse surdo, que estará na creche, no ensino fundamental, no ensino médio e na universidade”, frisa.

Programação

26 de abril de 2017

8h – 10h – Mesa-redonda:

CEAADA: Escola Especializada na educação de surdos

Gláucia I. Paes de Barros (Diretora CEAADA)

Ademilson Dias de Oliveira (Docente CEAADA)

Luciene Bená Bolonhes (Docente CEAADA)

Indira Isis Bernardes (Discente Letras Libras – UFMT)

10h – 12h – Mesa-redonda:

Formação de professores para a educação de surdos

Marcos Antônio de Souza (CAS)

Agatha Alexandra M. N. Oliveira (CAS)

Valdite Heinzen (Diretora CASIES)

Anderson S. Duarte (Docente Letras Libras – UFMT)

25/04/2017Educação-de-surdos-é-debatida-em-seminário-na-Seduc
Seduc e prefeitura de Chapada dos Guimarães iniciam projeto de alfabetização


A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) e a prefeitura de Chapada dos Guimarães lançam nesta quarta-feira (26.04), às 09h, na Câmara dos Vereadores, o projeto Muxirum da Alfabetização - iniciativa para implantar ações conjuntas que assegurem a instrução de pessoas jovens, adultas e idosas.

No município serão alfabetizadas 228 pessoas, divididas em 24 turmas, em regiões distintas. As aulas começam no próximo dia 2 de maio e deverão ocorrer em escolas e espaços diversos, como salões paroquiais, sedes de fazendas e até mesmo em residências.

Para conduzir as aulas, foram selecionados 18 alfabetizadores, que serão capacitados na próxima sexta-feira.

De acordo com o secretário adjunto de Política Educacional da Seduc, Edinaldo Gomes de Sousa, a iniciativa é uma ação relevante da atual gestão da pasta, na transformação da realidade econômica e social dessas comunidades. “Inicialmente estamos implantando o projeto piloto em nove municípios. Vamos mostrar à sociedade que a erradicação do analfabetismo é possível. E, a partir das experiências exitosas nestas localidades, expandir a outras regiões”.

Parceria

Para o andamento do projeto, a Seduc garantirá a formação de coordenadores e formadores de turmas, o custeio de bolsas aos alfabetizadores, a cessão de salas de aulas em prédios do Estado e demais necessidades.

Caberá aos municípios mobilizar a sociedade, selecionar e manter os coordenadores locais, vinculados às Secretarias Municipais de Educação, auxiliar na busca de pessoas analfabetas, ceder espaços funcionais, entre outros.

As aulas ocorrerão em quatro dias da semana. O quinto será reservado para que o alfabetizador se organize. As pessoas atendidas serão ensinadas a ler, escrever e a fazer as quatro operações de cálculo básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão).

O projeto já foi lançado em Várzea Grande e Nossa Senhora do Livramento, nos últimos dias.

Em Várzea Grande, serão 56 turmas totalizando 618 alunos. A previsão dos organizadores é a abertura de mais 23 turmas, totalizando 79 turmas para a formação.

Já em Livramento, serão atendidos cerca de 400 alunos distribuídos em 40 turmas. Para isso, foram selecionados 36 professores/monitores através de processo seletivo, que exigiu comprovação de experiências na alfabetização de jovens e adultos.

25/04/2017Seduc-e-prefeitura-de-Chapada-dos-Guimarães-iniciam-projeto-de-alfabetização
Estudantes constroem terrário para observar ecossistema

276_0_gr.jpg

Alunos do 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Antonio Epaminondas puderam conhecer e observar fenômenos naturais, como o ciclo da água, através de práticas experimentais durante as aulas de biologia.

 

Para tanto, os alunos tiveram que construir um terrário, modelo de sistema ou um microssistema, isto é, um pequeno conjunto de elementos que interagem, funcionando juntos como uma totalidade. Uma reprodução de um sistema maior, com variedade de animais como insetos, aracnídeos, moluscos, anfíbios, répteis, dentre outros, dependendo da finalidade do terrário.

 

Na Escola Plena, professor e alunos queriam conhecer e compreender um ecossistema, o modo de vida e as características de alguns animais como a formação de fungos e insetos.

276_5_gr.jpg 

“O terrário é um modelo didático de ecossistema, em tamanho reduzido, que imita as condições naturais da floresta e, até mesmo do Cerrado. As aulas exercitaram a prática da metodologia científica que possibilitou a compreensão do ciclo da água de maneira empírica, da importância da preservação da água e seus recursos naturais, bem como a forma de alimentação das plantas, como ocorre a fotossíntese, como as plantas se alimentam da terra e substratos, o que é matéria orgânica, enfim”, explica o professor de biologia, Rômulo Figueiredo.

 

Antes das aulas práticas, os alunos fizeram algumas pesquisas para conhecer e aprender a construir um terrário. E, ao final, o professor passou um exercício para verificar o resultado da investigação científica feita pelos estudantes.

276_4_gr.jpg 

Para o professor, a participação dos alunos foi espontânea e ativa. “Eles tiveram a iniciativa de buscar os materiais necessários para fazer o terrário. Escolheram tipos de terra, substratos de matéria orgânica em decomposição e plantas. Ao final, fecharam o terrário e realizaram suas observações”, conta Rômulo.

24/04/2017Estudantes-constroem-terrário-para-observar-ecossistemas
Seduc recebe 31 pedidos de escolas para desenvolver projetos "educomunicativos"


Criado para estimular os estudantes a produzir conteúdo por meio de recursos tecnológicos, o programa Educomunicação funciona em 131 escolas da rede estadual. Neste ano, o Núcleo de Projetos Educacionais (NPE) da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) recebeu 31 pedidos de unidades interessadas em dar início à iniciativa.


"O Núcleo de Projetos Educacionais já recebeu 31 projetos para implantação do programa. Os mesmos estão sendo analisados conforme o Orientativo Pedagógico 2017 e, estando dentro das exigências, as escolas aguardarão a liberação da carga horária para atribuição do 'professor-educomunicador'", explicou Mizael Silva, coordenador do programa.

Nas unidades de ensino onde são realizadas as atividades, os estudantes, com o auxílio dos professores, produzem conteúdo por meio de jornais e programas de rádio. Utilizam também as redes sociais e endereços virtuais (sites) para divulgação de todos os assuntos relacionados ao cotidiano escolar.

A Escola Estadual Francisco Ferreira Mendes, em Cuiabá, há três anos trabalha com diferentes modalidades "educomunicativas", como a Rádio Escolar e a TV Educativa. No ano de 2016, os alunos ainda colocaram no ar um programa de variedades, intitulado FMNET, para exibição no youtube.

Em Nova Xavantina, estudantes da Escola Estadual Juscelino Kubitschek reativaram o site da unidade, assim como os alunos da Escola Estadual Rosmay Kara José, situada em Novo Horizonte do Norte, que abastecem o endereço virtual da escola com informações.

Já na Escola Estadual Dr. Artur Antunes, em Juína, os estudantes aprimoraram a comunicação escolar desenvolvendo um jornal impresso.

O Educomunicação, destaca Mizael, oferta aos alunos um maior protagonismo e reforça a relação de cada um com a escola, além de estimular a inventividade e de trazer benefícios para oralidade e a escrita. A iniciativa está presente em 56 municípios e contempla 80 mil alunos.​

Para mais informações ou esclarecimentos a respeito do programa, basta ligar no (65) 36136306 (NPE) ou enviar e mail para: educomunicacao@seduc.mt.gov.br.

24/04/2017Seduc-recebe-31-pedidos-de-escolas-interessadas-em-desenvolver-projetos-educomunicativos-
Inscrições para laboratórios com professores da rede pública estão abertas

​​​​

A Mostra de Arte Contemporânea de São Paulo volta a Cuiabá no próximo mês e, como parte da programação, os organizadores realizam a Proposta Programa Educativo, com palestras e laboratórios com professores da rede pública de ensino.

A série de quatro encontros será realizada nos dias 06 e 07 de maio de 2017, em dois períodos distintos (manhã e tarde), reunindo a cada período a equipe da Bienal (um coordenador, um mediador e três articuladores), e até 100 professores selecionados e convidados pela equipe de produção local, subdivididos em dois grupos de 50 pessoas (turma 1 e turma 2).

Os encontros, com palestras de uma hora e laboratórios de três horas cada um, terão como base a proposta da publicação educativa da 32ª Bienal de refletir sobre os objetivos e as maneiras de se aproximar das práticas artísticas em contextos de aprendizagem.

Na primeira parte dos encontros (Palestra) será apresentada a Fundação Bienal e a 32ª Bienal, seus temas e conteúdos.

Já na segunda (Laboratório), será dedicada a aprofundar os assuntos com base no recorte dos artistas da mostra em Cuiabá. Exercícios práticos coletivos complementarão os trabalhos em cada um dos encontros.

Será distribuída a publicação educativa. O grupo de mediadores poderá participar das palestras e laboratórios.

Encontro 1

06/05/2017 - sábado, das 8h às 12h (Turma 1) e das 14h às 18h (Turma 2)

Palestra | A 32ª Bienal, seus temas e conteúdos

Laboratório | Narrativas que constroem mundos

O laboratório aborda obras de artistas da 32ª Bienal como Dalton Paula, Günes Terkol e o projeto Vídeo nas Aldeias, que investigam políticas da diferença e a ampliação dos horizontes de representação de subjetividades.

Com base na pergunta “O que te faz sentir pertencente?” Será debatida a relação entre narrativas pessoais e a multiplicidade de existências possíveis.

Encontro 2

07/05/2017 - domingo, das 8h às 12h (Turma 1) e das 14h às 18h (Turma 2)

Palestra | A 32ª Bienal, seus temas e conteúdos

Laboratório | Acolher incertezas em ambientes de aprendizagem

O laboratório propõe uma aproximação à proposta curatorial da 32ª Bienal, partindo dos processos de criação de artistas da exposição, como Felipe Mujica e Francis Alÿs, e do texto “Escrever e Saber”, de Mia Couto, presente na publicação educativa Incerteza Viva - Processos artísticos e pedagógicos.

Local 06 e 07/05 – 08h às 12h (Turma 1) e 14h ás 18h (Turma 2) IFMT – Campus Cuiabá Rua Professora Zulmira Canavarros, 93 – Centro, Cuiabá/MT

Informações sobre inscrições

Telefone: (65) 3613-0240 E-mail: 32bienalmt@cultura.mt.gov.br

24/04/2017Inscrições-para-laboratórios-com-professores-da-rede-pública-estão-abertas
Prêmio Arte na Escola Cidadã está com inscrições abertas

​​​​​

A 18ª edição do Prêmio Arte na Escola Cidadã está com inscrições abertas até o dia 28 de maio de 2017. São cinco categorias de premiação: Educação Infantil, Ensino Fundamental 1, Ensino Fundamental 2, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O Prêmio é realizado pelo Instituto Arte na Escola desde 2000 e já contemplou 89 professores de arte em todo o Brasil. O objetivo é identificar, reconhecer e divulgar projetos modelares na área de Artes em sala de aula.

Podem participar professores ou equipes de professores que desenvolveram projetos nas linguagens Artes Visuais, Dança, Música ou Teatro, realizados nos anos de 2015, 2016 e/ou concluídos até maio de 2017, em escolas de ensino regular, públicas ou particulares, em todo o território nacional.

Os projetos são avaliados em três fases por comissões formadas por especialistas em arte e cidadania.

Premiação

Os cinco professores premiados, um em cada categoria, receberão R$ 10 mil, publicações, certificado de participação e troféu, e terão seus percursos pedagógicos registrados em vídeo-documentários amplamente divulgados, inclusive na TV.

A premiação ocorrerá em São Paulo, seguida de uma vivência cultural. As escolas onde se desenvolveram os projetos receberão, entre outros prêmios, um computador e uma câmera digital.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente no site http://artenaescola.org.br/premio. Todos os inscritos receberão uma prancha com proposta pedagógica a partir da obra “Puros e Duros” (1991), do artista Leonilson, para trabalhar em sala de aula.

24/04/2017Voltar-Prêmio-Arte-na-Escola-Cidadã-está-com-inscrições-abertas
1 - 20Próxima